PETROBRÁS e a Leviandade Eleitoreira


Segue abaixo esclarecimentos, sobre como uma empresa séria, competente, como a Petrobras atua.
Creio que as assertivas supracitadas, por si só, já explicariam  o sucesso da PETROBRAS, como maior empresa petrolífera no Brasil, e quiçá, um das maiores, mundialmente falando.
Entretanto, por ocasião, de campanha eleitoral grupos eleitoreiros tentam, auxiliados pelas fofocas, da mídia vigente, de todas formas, até as mais infames enxovalhar o nome desta que é e deve ser sempre motivo de orgulho de todos nós brasileiros.
Portanto segue a demonstração.

Hipóteses: competência, seriedade, trabalho, lisura

Tese Revista Veja: "A Grande Farsa".

Por Zedotoko

Sobre a matéria intitulada "A Grande Farsa", publicada pela revista Veja, esta semana, a Petrobras esclarece que tomou conhecimento das perguntas centrais que norteiam os trabalhos das CPI e CPMI da Petrobras, através do site do Senado Federal, nos dias 14 de maio e 02 de junho, respectivamente, onde foram publicados os planos de trabalho das referidas comissões. Nestes, além das perguntas centrais, constam também os nomes de possíveis convocados, e a relação dos documentos que servem de base para as investigações.

Convém ressaltar que tais informações, tornadas públicas pelas comissões de inquérito, por ocasião do início de seus trabalhos, possibilitam a elaboração de centenas de outras perguntas, propiciando à Petrobras a organização das informações necessárias para o melhor esclarecimento dos fatos pertinentes a cada eixo das investigações, quais sejam: Eixo 1 - Refinaria de Pasadena; Eixo 2 - SBM Offshore; Eixo 3 - Segurança nas plataformas; Eixo 4 – Superfaturamento RNEST.

A Petrobras informa que, após cada depoimento, as dezenas de perguntas feitas pelos Parlamentares são desdobradas em novas perguntas pela equipe da Petrobras de forma a subsidiar os depoimentos subsequentes.

Assim como toda grande corporação, a Petrobras garante apoio a seus executivos, e ex-executivos, preparando-os , quando necessário, com simulações de perguntas e respostas, para melhor atender aos diferentes públicos, seja em eventos técnicos, audiências públicas, entrevistas com a imprensa, e, no caso em questão, as CPI e CPMI. Tais simulações envolvem profissionais de várias áreas, inclusive consultorias externas, de modo a contribuir para uma melhor compreensão dos fatos e elucidação das dúvidas. 

A Petrobras reafirma que continuará disponibilizando todas as informações referentes as suas atividades e reafirma seu compromisso com a transparência e ética que sempre nortearam suas ações.

 


Tese Revista Carta Capital: Produção e Resultados.
 
Eis as respostas que enviadas à revista Carta Capital sobre produção e resultados do primeiro semestre: PERGUNTA 1: A Petrobras tem insistido que a produção média deste ano vai crescer 7,5%, com tolerância de 1 ponto percentual para baixo ou para cima. A empresa confirma essa projeção?
RESPOSTA: A Petrobras reafirma seu compromisso com a meta de crescimento da produção de 7,5% em 2014, com margem de 1% para mais ou para menos. É importante lembrar que ainda este ano entrarão em operação três novas plataformas, além das duas que já entraram em produção no primeiro semestre. Além disso, novos poços serão interligados, garantindo a manutenção do crescimento da produção.
PERGUNTA 2: Neste primeiro semestre, a produção média no Brasil atingiu 1.947 mbpd, apenas 1,4% maior que no mesmo período de 2013. Quais são os motivos para o desempenho tão baixo no período?
RESPOSTA: Não houve baixo desempenho no período: a produção apresentou crescimento constante ao longo de todos os meses do semestre, aumentando de 1.917 barris por dia (bpd) em janeiro para 2.008 mil bpd em junho - um acréscimo de 91 mil bpd, ou 4,7%. A Companhia também dobrou, no período de um ano, o número de poços que começaram a produzir: no total, foram 30 novos poços submarinos que entraram em operação no 1º semestre de 2014, contra 15 poços no 1º semestre de 2013.
Outro ponto relevante foi a melhoria contínua da eficiência operacional da Companhia, fruto do Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef), iniciado em 2012. A eficiência operacional de todas as unidades de produção da companhia alcançou 91,6% em junho, o que constituiu um recorde dos últimos 50 meses. A última vez em que a eficiência global esteve acima desse resultado foi em abril de 2010.
Por fim, vale ressaltar que a companhia atingiu, em junho, seu recorde histórico de produção de gás natural, com um total de 66,4 milhões de metros cúbicos produzidos por dia.
PERGUNTA 3: Para o segundo semestre, além do esperado crescimento da produção das unidades instaladas recentemente, entrarão em operação a plataforma P-61 (Campo de Papa-Terra – Bacia de Campos) e as FPSOs Cidade de Mangaratiba (Campo Lula/Iracema Sul) e a Cidade de Ilhabela (Campo de Sapinhoá), ambas no pré-sal da Bacia de Santos. Somadas, as
capacidade de produção das três unidades atingem 440 mbpd. Dado o retrospecto do primeiro semestre, e também o não cumprimento das metas de produção há dez anos, que elementos permitiriam supor que a meta de produção média de 2014 será atingida?
RESPOSTA: O crescimento da produção no segundo semestre de 2014 será garantido não somente pelo início de produção dos novos sistemas previstos para entrar em operação (P-61, FPSO Cidade de Ilhabela e FPSO Cidade de Mangaratiba) mas, também, pela interligação de novos poços às plataformas que iniciaram produção no primeiro semestre (P-58, que entrou em operação em 18/março, e P-62, cuja operação iniciou em 12/maio), assim como pela melhoria contínua da eficiência operacional.
O volume de poços interligados às plataformas dobrou, no último ano, e será ainda maior no segundo semestre, com a chegada de mais seis PLSVs (embarcações que efetuam interligações de poços) até o final de 2014. Além disso, a produtividade dos novos poços interligados na camada pré-sal vem se mostrando bastante elevada, frequentemente atingindo vazões superiores a 30 mil bpd por poço.

OBS: O veículo utilizou nossas respostas para a reportagem de capa da edição desta semana. A matéria ainda não estava disponível no site da revista no momento de publicação deste post.

Fonte: Petrobrás
 


Postagens mais visitadas