Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

O Jovem Karl Marx e o salto civilizatório que o socialismo trouxe ao mundo

Filme de Raoul Peck traz autor de O Capital como "esquerda transante" e é boa propaganda comunista em tempos de neomacartismo






Por Cynara Menezes
As cenas de abertura de O Jovem Karl Marx, dirigido pelo haitiano Raoul Peck (Eu Não Sou Seu Negro), trazem camponeses miseráveis recolhendo gravetos no chão para alimentar o fogo em suas casas e assim fugir da fome e do frio. Na época, o governo da província do Reno, onde Marx nasceu, igualara a coleta com o roubo, provocando a indignação do jovem jornalista, que publica uma série de artigos furiosos na Gazeta Renana, para a qual escrevia. “Montesquieu cita dois tipos de corrupção. Um, quando as pessoas não observam as leis. E outro, quando a lei as corrompe”: as imagens dos camponeses sendo massacrados pela polícia são acompanhadas por trechos dos ensaios, recentemente publicados no Brasil pela Boitempo com o título Os Despossuídos.
O futuro autor de O Capital, uma das obras mais importantes do século 20, tinha 24 anos em 1842, quand…

Últimas postagens

“Esta democracia não é perfeita porque nós não somos perfeitos. Mas, temos de defendê-la para melhorá-la, não para sepultá-la”.

INTERESSES DE CLASSE DISTORCEM A HISTÓRIA

Ser de esquerda em tempos sombrios

‘Desigualdade existe porque o capital é a prioridade, não os direitos humanos’

DESMONTE: Saúde mental: uma canetada não apaga 30 anos de luta

Ataque aos comunistas, aplausos aos capitalistas