Primeiro de Maio INTERNACIONALISTA


 


Neste ano estão sendo lembrados os 100 anos da Primeira Guerra Mundial Imperialista.
Para os trabalhadores é um momento de profunda reflexão.
A guerra criou as condições que impulsionaram o proletariado ao ponto mais da sua experiência histórica: a Revolução de outubro, que por sua vez, permitiu a construção do primeiro partido mundial da classe trabalhadora, a Internacional Comunista.
No grande ciclo de passividade social que estamos vivendo há décadas, é difícil acreditar no potencial revolucionário que a nossa classe foi capaz de expressar.
Uma história que nos dá orientações valiosas para compreender e agir sobre o futuro que nos aguarda.
Nós vivemos num mundo onde as tensões, desde o fim da Segunda Guerra, estão acumulando e se expandindo. Guerra no Afeganistão, guerra civil na Síria, lutas operárias na China, manifestações no Egito, crise com desemprego na Europa, conflito na Ucrânia, envolvendo Rússia, UE e EUA e crise na Venezuela.
Retirando o véu das ideologias podemos facilmente identificar um ponto comum entre todas as vitimas desses conflitos. Ideologias nacionalistas e religiosas só servem para dividir a nossa classe e disfarçar o óbvio: as vítimas das lutas políticas, econômicas e principalmente das guerras – pequenas, médias e grandes – entre as frações da burguesia são pagas sempre e em todo lugar pela classe que produz toda a riqueza social, o proletariado.
Portanto, todos os dias os jovens e trabalhadores do Intevenção Comunista são uma presença constante diante das escolas, das universidades e nos bairros da cidade, levando adiante, não em palavras, mas na prática, uma luta contracorrente: uma atividade capilar nas massas profundas, entre os estudantes e trabalhadores, para difundir e enraizar concretamente os princípios do internacionalismo.
A difusão da ciência marxista é o primeiro passo prático para compreender o mundo, e compreender é indispensável para agir.
Agir, isto é, viver e não vegetar, serem protagonistas e não espectadores passivos, porque há muito a ser feito numa corrida contra o tempo que chama diretamente à responsabilidade, em primeira pessoa , cada um de nós.
Em poucas palavras, conclamamos: É NECESSÁRIO LEVANTAR A CABEÇA E OLHAR PARA O MUNDO!
Sabemos que na ascenção imperialista do Brasil e diante do mundo movido à crises e guerras há uma nova geração que se opõe e questiona. Devemos nos voltar a esses jovens e assalariados que estão confusos e desorientados, mas que não aceitam se submeter a um mundo onde o indivíduo vale pelo quanto ao capitalista lucrar por aquilo que consomem.
Milhares hoje se perguntam? Aonde vai este mundo e qual será o seu futuro?
É imperativo apresentar uma perspectiva de luta internacionalista contra a atual passividade e a incerteza.
A escolha é um mundo sem classes e sem Estados.
É sabido, que tal escolha, exige folêgo do militante, análise estratégica, paciência revolucionária e muito estudo, pois, só assim,resgataremos o tempo perdido, acelerando o passo, no que tange a formação de novos militantes, dentre estudantes, e assalariados, na luta pelo comunismo.
Essa batalha exige também outra escolha: LUTAR PELA UNIDADE INTERNACIONALISTA DA CLASSE QUE PRODUZ E PAGA POR TODOS.

Venham participar do PRIMEIRO DE MAIO INTERNACIONALISTA!

ATO PÚBLICO
QUINTA-FEIRA, 1º DE MAIO DE 2014, ÀS 10H
Será realizado na sala de Convenções do Clube Português, Rua Lara Vilela, 176, Ingá, Niterói-RJ, Contato: 3062-9798


Equipe Intervenção Comunista

Postagens mais visitadas