ESPECIAL: Razões para NÃO reduzir a maioridade penal


Por Zedotoko Costa

Na última semana uma tragédia abalou todos os funcionários e alunos da Faculdade Cásper Líbero. O aluno de Rádio e TV Victor Hugo Deppman, de 19 anos, foi morto por um assaltante na frente do prédio onde morava, na noite da terça-feira (9). O crime chocou não só pela banalização da vida – Victor Hugo entregou o celular ao criminoso e não reagiu –, mas também pela constatação de que a tragédia poderia ter acontecido com qualquer outro estudante da faculdade.

Esse novo capítulo da violência diária em São Paulo ganhou atenção especial da mídia por um detalhe: o criminoso estava a três dias de completar 18 anos. Ou seja, cometeu o latrocínio (roubo seguido de morte) enquanto adolescente e foi encaminhado à Fundação Casa.
Óbvio que a primeira reação é de indignação; achamos válida toda a revolta da população, em especial da família do garoto, mas não podemos deixar que a emoção nos leve a atitudes irresponsáveis. Sempre que um adolescente se envolve em um crime bárbaro, boa parte da população levanta a voz para exigir a redução da maioridade penal. Alguns vão adiante e chegam a questionar se não seria hora do Estado se igualar ao criminoso e implantar a pena de morte no país.

Pois bem, entendam agora.
PORQUE DIZER NÃO À REDUÇÃO DA IDADE PENAL, muito bem documentado  e/ou argumentado pelo relatório da UNICEF, de 2007, demonstrando que crimes de homicídio são exceção.

Postagens mais visitadas