Pactuadas regras sobre sistemas de informação e aplicativos em Saúde


Minuta de Resolução que dispõe sobre as regras para implantação de novos aplicativos, sistemas de informação em saúde e novas versões de sistemas e aplicativos, no âmbito do Sistema Único de Saúde, foi pactuada nesta reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT). A minuta foi apresentada pela secretária-executiva do Ministério da Saúde, Márcia Amaral.

Como a informação é transversal a todas as áreas do Ministério da Saúde, a coordenação e o monitoramento dos processos se dá pela Secretaria Executiva, por meio da Sala de Situação, sendo apreciada pelo Comitê de Informação e Informática (CIINFO).

A Portaria vai abranger todos os sistemas configurados de forma tripartite, com reflexo interfederativo, discutidos e validados pela CIT. As informações contidas nos bancos de dados desses sistemas terão acesso automático e integral pelas bases de dados dos estados e também dos municípios. Será disponibilizado aos entes federativos dicionário de dados para facilitar que aplicativos e sistemas próprios destas unidades sejam integrados ao novo produto.

O secretário de Gestão Estratégica e Participativa, Odorico Monteiro, falando em nome do Departamento de Informática do SUS (Datasus), explicou que é necessário planejar a adequação às necessidades de estados e municípios, em termos de conectividade. Enfatizou que não haverá substituição de informações, mas integração em todos os níveis.

Monteiro ressaltou que 2013 será o ano da informática em saúde, com destaque para o Cartão Nacional de Saúde e o pleno funcionamento do novo sistema de Atenção Básica, o E-SUS. Ele explicou que a conectividade e a interoperabilidade dos sistemas são quesitos estratégicos para a universalização do Cartão até 2014 e que a ideia não é substituir informações, mas integrá-las em âmbito nacional.

"Em 2013 vamos colocar na agenda dos prefeitos a conectividade da Atenção Básica e das unidades de saúde como grande desafio nosso", disse o secretário, acrescentando que o sistema E-SUS é ofertado por adesão. “O importante é garantir a interoperabilidade e que os sistemas alimentem a base de dados nacional”, pontuou.

Fonte: Portal Saúde.

Postagens mais visitadas